Skip to content

Memória, Áfricas, Escravidão

A linha de pesquisa se propõe a pensar a história da África e da escravidão Atlântica, bem como das sociedades africanas pós-coloniais e do pós-abolição nas Américas. Interessa-nos a história do racismo e a temática dos passados sensíveis em sociedades
coloniais e escravistas, pós-escravistas e pós-coloniais, bem como a história da escravidão atlântica e das formas pelas quais ela tem sido narrada no tempo presente. Propõe debates sobre história social; gênero, patrimônio, história pública e educação.
Elencamos a seguir os principais projetos e plataformas digitais desenvolvidos pela linha.

Projetos

Passados Presentes - Memória da Escravidão no Brasil

Projeto de História Digital (Banco de Dados online e 4 aplicativos de celular) e turismo de memória (três memoriais a ceu aberto) coordenado por Hebe Mattos (UFJF/UFF), Martha Abreu (UFF/UNRIO) e Keila Grinberg (UNIRIO). O site bilíngue dá também acesso a três filmes dirigidos por Guilherme Hoffmann em diálogo com as coordenadoras do projeto: o Making Off do Projeto: Criando Passados Presentes (23min); o teaser do projeto Passados Presentes; Memória da Escravidão no Brasil e o teaser do circuito Pequena Áfrfica, na cidade do Rio de Janeiro. O site engloba também um banco de dados sobre lugares de memória do tráfico atlântico de escravos e dos africanos escravizados no Brasil, em expansão, e acesso aos aplicativos de celular e roteiro de turismo de memória Pequena África, Quilombo do Bracuí, Quilombo São José e Jongo de Pinheiral, disponíveis para android e IOS. Foi uma iniciativa da Rede de Pesquisa Passados Presentes (LABHOI/UFF/UFJF) e (NUMEM/UNIRIO) em parceria com o Centro de Referência de Estudos Afro-Brasileiros do Sul Fluminense (Jongo de Pinheiral) e o Pontão do Jongo e do Caxambu. O projeto começou a ser desenvolvido em 2015, primeiro ano da Década Internacional Afro Descendente instituída pela ONU (2015-2024).

Passados Presentes. Memória da Escravidão e Políticas de Reparação no Brasil.

Projeto apresentado ao edital E15/2014 Cooperacão Bilateral FAPERJ/ Associação Columbia Global Center por Hebe Mattos (UFF/UFJF) e David Scott (Columbia University). Site do relatório final (2016) com publicações onlines, eventos e acesso a plataformas digitais.

Passados Presentes (coletânea online e caixa de DVDs)

Este link dá acesso integral a quatro filmes historiográficos - Memórias do Cativeiro, de Guilherme Fernandes, Isabel Castro, Hebe Mattos e Martha Abreu, [2005]; Jongos, Calangos e Folias; música negra, memória e poesia de Hebe Mattos e Martha Abreu [2007]; Versos e Cacetes: o jogo do pau na cultura afro-fluminense de Matthias Assunção e Hebe Mattos [2009]; Passados Presentes: memória negra no Sul Fluminense de Hebe Mattos e Martha Abreu [2011] - , precedidos de um pequeno texto explicativo sobre a pesquisa que resultou na caixa de DVDs Passados Presentes (EDUFF, 2012) com os quatro filmes historiográficos, e a cada filme separadamente. O site é bilíngue (português e inglês) e dá acesso a cada um dos filmes sem legenda, com subtítulos em inglês e, em alguns casos, também em francês. Os filmes estão arquivados no canal LABHOI/UFF do youtube.

Acervo UFF-Petrobras Cultural Memória e Música Negra.

Arquivo online do acervo de história oral do LABHOI/UFF, em suporte audiovisual, formado pelos projetos Memórias do Cativeiro e Jongos, Calangos e Folias: Música negra, memória e poesia, coordenados por Hebe Mattos (UFJF/UFF) e Martha Abreu (UFF/UNIRIO).  Reúne entrevistas com camponeses negros descendentes da última geração de africanos capturados na África para o trabalho forçado nas fazendas cafeeiras do Vale do Paraíba fluminense e performances de manifestações culturais de verso, música e dança que evocam sua memória, registradas de 2003 a 2007, num total de 150 registros.

A página inicial com um mapa do Rio de Janeiro dá acesso às entrevistas filtradas pela região geográfica em que foram desenvolvidas (Litoral Sul, Litoral Norte, Vale do Paraíba (Sul); Vale do Paraíba (Norte) e Baixada Fluminense). O campo aplicar (desde de que sem nada registrado nas funcionalidades BUSCA, CÓDIGO DO ITEM e PALAVRAS CHAVES) dá acesso à lista em pdf das fichas técnicas das 150 entradas, com links para uma ficha de decupagem do vídeo e, desde 2017, também para a visionagem completa do mesmo. A partir desta lista em pdf, é possível pesquisar por nomes ou datas, com o uso da busca do google. O banco de dados foi desenvolvido em software livre, em 2007, por Ana Paula Serrano. As funcionalidades BUSCA, CÓDIGO DO ITEM e PALAVRAS CHAVES estão desativadas, em fase de reformulação. O uso das informações e imagens está autorizado, para fins culturais e educacionais, mediante citação dos direitos autorais do LABHOI/UFF. O acervo foi a base dos filmes historiográficos Memórias do Cativeiro (2005) e Jongos, Calangos e Folias (2007).

Festival Internacional do Filme de Pesquisa

Mostra itinerante de filmes de pesquisa sobre história e memória da escravidão, criado por iniciativa do Prof. Bogumil Koss (Universidade de LAVAL, Canadá e EHESS, França) e organizado de 2008 a 2015 por Myriam Cottias (CIRESC/CNRS); Hebe Mattos (LABHOI/UFF/UFJF) e Francine Saillant (CELAT/LAVAL). O site, em três línguas (inglês, francês e português) dá acesso a um arquivo com todos os filmes exibidos nas várias edições do festival que se encontram disponíveis online.

Inventário dos Lugares de Memória do Tráfico Atlântico de Escravos e da História dos Africanos Escravizados no Brasil

Primeiro resultado do projeto de organização de um Inventário dos Lugares de Memória do Tráfico Atlântico de Escravos e da História dos Africanos Escravizados no Brasil, coordenado por Milton Guran, Martha Abreu e Hebe Mattos, em parceria com o Comitê Científico Internacional do Projeto da UNESCO “Rota do Escravo: Resistência, Herança e Liberdade”. Reúne 100 Lugares de Memória e foi construído a partir da indicação e contribuição de diversos historiadores, antropólogos e geógrafos do país, após consultas e intensas trocas de informações. Sem essa generosa contribuição, inclusive na redação preliminar dos verbetes e indicação da bibliografia ou fontes de referência, não teria sido possível a reunião desse amplo material. A versão impressa, bilíngue, com prefácio de Aly Moussa, coordenador do Projeto Slave Route da UNESCO, está disponível em pdf na aba publicações do projeto FAPERJ/COLUMBIA.

Identidades do Rio

Portal de divulgação científica de projeto coletivo, apoiado pelo edital PENSA RIO 2009 da FAPERJ, reunindo pesquisadores de 4 programas de pós graduação do Rio de Janeiro, coordenado por Hebe Mattos, sobre a memória social e cultural do estado do Rio de Janeiro, considerando sua pluralidade e tomando a circulação e as trocas culturais, nas diferentes cidades e regiões, como questões-chave para pensar em novas bases a identidade estadual e para propor intervenções na área de preservação e educação patrimonial. Confira os principais roteiros e seus respectivos vídeos:

O comercio ilegal de africanos escravizados, coordenação: Hebe Mattos (UFJF/UFF), Keila Grinberg (UNIRIO).

Niterói: cidade de memórias, coordenação Hebe Mattos (UFJF/UFF).

O Rio de Janeiro nos tempos de D. João VI (1808-1821), coordenação Maria Fernanda Bicalho (UFF) e José Pessoa (UFF).

Incêndio, Vida Urbana e Serviço Público no Século XIX, coordenação Anita Correia Lima de Almeida (UNIRIO)

Cronologia do Choro (gênero musical), coordenação: Luiza Mara (POSDOC LABHOI/UFF)

Escravidão e Igreja Católica, coordenação Mariza Soares (UFF); Larissa Vianna (UFF) .

Os Índios no Rio de Janeiro, coordenação Maria Regina Celestino de Almeida (UFF)

Fazendas de Café, coordenação de Mariana Muaze (UNIRIO)

Jongos, Calangos e Folias: Música Negra, Memória e Poesia

A Universidade Federal Fluminense, através do Laboratório de História Oral e Imagem (LABHOI/UFF) e do Núcleo de Pesquisa em História Cultural (NUPEHC/UFF) desenvolveu, em 2007, sob coordenação de Martha Abreu (UFF/UNIRIO) e Hebe Mattos (UFF/UFJF) e, o projeto Jongos, Calangos e Folias: Memória e Música Negra em comunidades rurais do Rio de Janeiro. Com origem nas lutas dos últimos escravos pela liberdade, jongos, calangos e folias afirmam identidades negras e contribuem para uma luta política mais ampla, hoje visualizada em todo o Brasil, de combate às desigualdades raciais e culturais. O objetivo do projeto era registrar tais manifestações e a história das comunidades que as protagonizam, disponibilizando o material produzido no Acervo UFF Petrobras Cultural Memória e Música Negra, além de produzir material didático e historiográfico, nos termos das Diretrizes para o ensino da História da África e da Cultura Afro-Brasileira. O projeto recebeu patrocínio do Edital Petrobrás Cultural / 2005.

Memórias do Cativeiro: Narrativas

Iniciado por Hebe Mattos, Ana Lugão Rios e Robson Martins, em 1994, o projeto de documentação e pesquisa Memórias do Cativeiro deu origem ao acervo oral de mesmo título, depositado no LABHOI-UFF, com entrevistas genealógicas de camponeses negros das antigas áreas cafeeiras do Rio de Janeiro, de Minas Gerais e do Espírito Santo. O LABHOI/UFF guarda, também, cópia da transcrição dos depoimentos de descendentes de escravos, moradores em áreas rurais do Estado de São Paulo, do acervo do projeto Memória da Escravidão em Famílias Negras de São Paulo, coordenado por Maria de Lourdes Janoti e Sueli Robles em 1987 (Centro de Apoio a Pesquisa Sérgio Buarque de Holanda – USP – caixas 1 a 16). O projeto “narrativas” identificou e editou coincidências discursivas presentes nesses diferentes acervos. A edição foi feita a partir de cinco “chaves temáticas” e está publicada no livro “Memórias do Cativeiro: família, trabalho e cidadania no pós-abolição” de Hebe Mattos e Ana Lugão Rios (RJ: Civilização Brasileira, 2005) precedida de um ensaio analítico. Ela pode ser também acessada em pdf neste sítio [chaves Temáticas] e cotejada com a transcrição integral das entrevistas ou dos principais trechos relativos à memória do cativeiro nos diferentes acervos pesquisados sobre os quais trabalhamos [Depoimentos]. Artigos acadêmicos, coleções de imagens, monografias e dissertações resultantes do desenvolvimento do projeto podem ser também acessados on line nesta página [Produtos]. O projeto resultou também no filme documentário “Memórias do Cativeiro” (40’, direção acadêmica Hebe Mattos e Martha Abreu; direção e montagem: Guilherme Fernandes e Isabel Castro), produto cultural sem fins lucrativos produzido pelo LABHOI com apoio do CNPq e da FAPERJ.

Destaques

Projeto Acervo Digital Angola-Brasil